13 de abril de 2017

Diário de escrita #14 | Camp NaNoWriMo 2017 - 1ª semana

Mais de uma semana de Camp NaNoWriMo já foi, por isso, está na hora de falar um pouquinho sobre como foi a semana. E, vou confessar, não foi lá essas coisas. Fiquei três dias sem escrever, e nos demais não atingi a meta de palavras. Só finalizei o primeiro capítulo. Ainda assim, foi melhor do que nada, e tenho esperanças de pegar no ritmo nessa segunda semana e recompensar a meta.
Tem um minuto? Responda à pesquisa de público do SI&F!


Resumo:

Média de palavras por dia: 533

Andamento do livro1:

10 de abril de 2017

Resenha | As águas-vivas não sabem de si

Título: As águas-vivas não sabem de si
Autora: Aline Valek
Ano de publicação: 2016
Editora: Fantástica Rocco
Número de páginas: 296
Compre: Amazon | Submarino | Saraiva
Sinopse: A três mil metros de profundidade, o oceano é um mundo sem luz, cheio das mais curiosas formas de vida e em sua maior parte inexplorado para quem vive na superfície. É nesse ambiente que mergulha Corina, flutuando no escuro como um astronauta no espaço, do jeito que gosta: cercada de água. Mas também perseguida pela sensação de que não deveria estar ali. Está sendo observada? Corina faz parte de uma equipe que pesquisa os arredores de uma zona hidrotermal com o objetivo de testar trajes especiais de mergulho. Cinco pessoas trabalhando isoladas, da superfície e umas das outras, numa estação a trezentos metros de profundidade. Como o abismo diante delas, escuro e insondável, cada uma dessas pessoas tem algo a esconder. Incapaz de afogar uma doença que pode pôr tudo a perder, Corina se vê obrigada a enfrentar seus dilemas e os dos colegas, em uma expedição liderada por um cientista com uma obsessão: encontrar inteligência no fundo do oceano. Uma história sobre mergulhar na solidão e ao mesmo tempo se cercar das vozes que pulsam no oceano. Uma história que convida a suspender o fôlego e a ouvir. Uma história que lança a inquietante dúvida: se as águas-vivas não sabem de si, sobre o que sabem então?

Corina é mergulhadora e sua atual missão consiste em testar trajes especializados para mergulhos a grandes profundidades — mais de 3 mil metros abaixo da superfície. Durante o período da missão, ela reside na estação Auris, localizada a 300 metros de profundidade, junto de Arraia, outro mergulhador, Susana, uma engenheira, e Maurício e Martin, dois cientistas interessados em pesquisar fontes hidrotermais no fundo do oceano.

A trama é bastante focada nos personagens e nos motivos que os levaram a aceitar uma missão em condições tão extremas. Não é um enredo cheio de ação, o que não é de jeito nenhum um defeito; na verdade, eu gosto bastante de histórias mais intimistas. Os mistérios, tanto em relação a essas motivações quanto à pesquisa de Martin (que logo se descobre que não é o que parece), são apresentados aos poucos. A autora soube o momento certo de despertar novas perguntas e fazer revelações, o que fez com que eu não conseguisse largar o livro.

7 de abril de 2017

Livros Nacionais & Independentes | O Velho Mundo: Abrem-se os portões de Erebo

Em O Velho Mundo, livro de fantasia de Kátia Regina Souza, o leitor encontrará personagens para todos os tipos de gosto (afinal, são nove principais), um final surpreendente e uma história menos clichê do que pode parecer. E, embora seja voltado ao público infanto-juvenil, é recomendado para leitores de todas as idades.

Saiba mais sobre o livro:

Título: O Velho Mundo: Abrem-se os portões de Erebo
Autora: Kátia Regina Souza
Ano de publicação: 2015
Editora: Giostri
Número de páginas: 251
Adicione: Skoob
Sinopse: Tudo o que já foi criado corre o risco de ser destruído – essa é a primeira e mais dura lição que os pequenos primos Cantrell aprenderam sobre a vida. Roubadas de suas infâncias confortáveis, as crianças assumem a responsabilidade de defender os treze mundos quando a própria essência do mal escapa das Terras de Erebo: Cruciare, a fonte macabra de nossos piores pesadelos. Ao mesmo tempo, uma profecia ameaça as terras e apenas um elixir pode impedir que o efeito desta seja catastrófico. Em uma jornada de luta, novas amizades e autoconhecimento, Daniel, Olívio, Tiago, André, Clara, Débora, Gabriela, Ágata e Eduardo Cantrell enfrentarão adversidades e, em meio a dores e perdas, descobrirão o verdadeiro significado da palavra família. Afinal, até onde você iria por amor?

O Velho Mundo surgiu a partir de uma história que a autora escreveu em sua infância, querendo manter no mundo real um pouco da magia das histórias infantis.

5 de abril de 2017

Resenha | Horror em Gotas

Título: Horror em Gotas
Autora: Karen Alvares
Ano de publicação: 2013
Editora: Independente
Número de páginas: 112
Compre: Amazon
Sinopse: “Vou lhe contar uma história, mas você tem que prometer não contar a ninguém. Queime esses papéis.”
Horror em Gotas reúne 30 contos de terror, uma gota por dia, um pesadelo por noite, para que você sinta o horror desses personagens na própria pele. Tranque as portas. Apague as luzes. Não olhe para trás. O medo está à espreita e o seu tempo está acabando. Tique. Taque.

Horror em gotas, de Karen Alvares, reúne 30 contos de terror e horror, alguns mais curtos, alguns mais longos, alguns com pegada mais sobrenatural, outros com enredos mais realistas. Como são 30 contos (31 na edição comemorativa; eu tenho a primeira edição), não vou falar sobre todos; em vez disso, farei um apanhado geral.

Já comentei algumas vezes que eu tenho um pé atrás com histórias de terror, porque sempre fico na expectativa de que elas me assustem — e, quando tratam de elementos dos quais não tenho medo, sempre acabo me decepcionando. 

30 de março de 2017

Camp NaNoWriMo 2017 | Novo projeto: Momento angular

Já tinha comentado na minha série sobre o que aprendi com o NaNoWriMo em 2016 que eu ia dar uma pausa em Divindade Artificial. Bem, o Camp NaNoWriMo está batendo na porta, e eu tenho um novo projeto!

Como é mais curto (embora não tão curto quanto eu queria que fosse), pretendo, além de bater minha meta do Camp, finalizar essa história, ou, ao menos, escrever 90% dela.


Momento angular foi planejado a partir de uma ideia que me veio algum tempo atrás. Era só um exercício, na realidade, um acontecimento do passado de um dos personagens que eu precisava esclarecer antes de dar continuidade ao replanejamento de A Deusa de Cristal (a série de livros principal).

Como eu tinha gostado de escrever aquele trecho, entretanto, decidi que a ideia merecia virar um conto. Mas, com outros projetos em mente, deixei para escrever outra hora. Apesar disso, a história ficou me chamando, e várias vezes eu me peguei matutando sobre ela, imaginando situações e vendo o que encaixava melhor. Porque, na realidade, eu tinha os personagens e o lugar, mas não tinha um enredo.

27 de março de 2017

Resenha | Revista Trasgo - Edição 05

Título: Revista Trasgo – Edição #5
Autores: George dos Santos Pacheco, Roberta Spindler, A. Z. Cordenonsi, Claudio Villa, Cesar Cardoso, Priscila Barone, Rodrigo van Kampen (organizador), Zakuro Aoyama (ilustrador)
Ano de publicação: 2014
Editora: Independente
Número de páginas: 100
Sinopse: A Revista Trasgo é uma revista de contos de ficção científica e fantasia em língua portuguesa, disponível online e em e-books. Nesta edição há um conto exclusivo no e-book, de autoria de George dos Santos Pacheco, autor de “O Fantasma do Mare Dei”. Chama-se Os Americanos que Vieram do Céu, um conto ambientado em uma Nova Friburgo na época da segunda guerra, onde os irmãos Tomás e Carlos Antônio se escondem para fugir do alistamento, dando de encontro com amores e uma estranha surpresa que pode mudar o rumo de suas vidas.
Roberta Spindler apresenta um conto dramático. Em O Preço da Cura, um pai desesperado precisa engolir o orgulho e tomar uma decisão da qual pode se arrepender pelo resto de sua vida. A.Z. Cordenonsi cria um belo cenário steampunk em O Prego de Batalha. Poderão os ágeis cacciatori vencer os gigantes dreadnoughts austríacos na batalha dos alpes italianos?
Direto dos mares de Azhir, a Capitã Rosa atraca em um conto de Cláudio Villa. Um Convite para o Jantar traz a protagonista de seu romance “O Vento Norte” em uma de suas aventuras de piratas para a revista. O fim do mundo não é único. É plural, insano, belo, com tantas cores quanto pessoas. É um pouco desses vários fins que o carioca Cesar Cardoso, autor do livro de contos “As Primeiras Pessoas”, costura em Isso É Tudo, Pessoal. Para fechar a edição, Priscila Barone apresenta a vida de Clara, uma menina que vive numa casa flutuante, isolada do mundo não fosse por sua amiga, uma sereia chamada Pérola. Canção Abissal é um conto sobre medo e busca.
A capa é criação exclusiva do artista Zakuro Aoyama. A revista traz também trechos dos romances “A Torre Acima do Véu”, e “Le Chevalier e a Exposição Universal”, além das tradicionais entrevistas com os autores.

Os Americanos que Vieram do Céu (George dos Santos Pacheco)

O conto narra a história de dois irmãos que, na época da Segunda Guerra Mundial, tiveram de deixar sua casa em Niterói a mando do pai, que queria evitar a morte dos filhos na guerra. Assim, eles partem para morar com o tio excêntrico em Friburgo.

Eu não sou exatamente fã de histórias que tratam das criaturas abordadas no conto (não vou estragar a surpresa contando qual é). Entretanto, isso talvez nem fosse problema se outras coisas não tivessem me incomodado. No caso, os personagens, a narrativa e o enredo.

Depois de certo ponto, torna-se óbvio o que vai acontecer. Tanto que até esperei um plot twist, mas ele não veio: o conto terminou exatamente da forma que eu imaginava.

21 de março de 2017

Responda à pesquisa de público do SI&F!

Estou fazendo uma pesquisa de público! Meu intuito é entender melhor quem são as pessoas que acessam o SI&F e do que elas gostam. Também quero saber como está sendo sua experiência com o blog, desde o conteúdo até a navegação. Tudo isso para descobrir onde estou errando e acertando, e melhorar ainda mais a sua experiência por aqui.

Pesquisa de público: o SI&F quer saber quem é você e como é sua experiência

Além disso, tenho alguns projetos em mente, e queria saber qual o retorno do público a fim de planejar qual a melhor forma de colocá-los em prática.

Assim, peço para que você tire alguns minutinhos para responder às perguntas! Se não conseguir visualizar o formulário abaixo, clique aqui.


Vou deixar o formulário aberto até 31 de maio. Prometo ler todas as opiniões e sugestões com carinho!


Assine a newsletter!
Receba em seu e-mail, mensalmente, novidades para escritores, leitores e blogueiros, conteúdo exclusivo e os últimos posts do SI&F.

ou siga as atualizações do blog nas redes sociais:
Facebook | Twitter | Google + | Instagram | Pinterest

18 de março de 2017

Indie Book Day | 7 livros independentes que merecem um lugar na sua estante

Hoje, 18 de março, é comemorado o Indie Book Day. A iniciativa surgiu na Alemanha em 2013 e visa chamar a atenção dos leitores para livros publicados de forma independente, ou por editoras independentes. O intuito é dar visibilidade para autores e editoras que geralmente não têm um potencial tão grande de divulgação.


Muitos leitores têm um pé atrás com os livros independentes, e eu entendo esse receio. Não é segredo para ninguém que há vários livros por aí que são bem amadores, tendo capas ruins, mal revisados e, muitas vezes, com uma escrita que ainda não amadureceu. Mas independente nem sempre é sinônimo de amador, e há aqueles autores que fazem (e muito bem) seu dever de casa.

Então venha conhecer cinco livros de autores independentes, e outros dois publicados por uma editora independente. São livros dos quais gostei bastante, entre todos os independentes que já li, e que certamente merecem um espaço na sua estante — seja ela física ou digital. Como sempre, não me propus a definir uma ordem de preferência.

Livros independentes

1. Estações de Caça (Lauro Kociuba)



Estações de Caça é o segundo na série Alvores, mas o primeiro a contar a história de Haakon, então não é necessário ler A Liga dos Artesãos antes de apreciá-lo. É na verdade uma novela, dividida em quatro partes e ambientada na Inglaterra medieval. Há vikings, muita mitologia nórdica, paredes de escudos e, claro, muito foco em Haakon, personagem cujo crescimento acompanhamos.

Ainda que tenha um deslize aqui e ali, Estações de Caça mostrou que Lauro Kociuba está sempre buscando melhorar como escritor. É uma narrativa de tom mais intimista, centrada mais nos personagens que em grandes batalhas e reviravoltas, mas gosto bastante de leituras nesse estilo e essa novela me agradou bastante.

17 de março de 2017

5 coisas que eu aprendi com o NaNoWriMo em 2016 - Parte 3

Finalmente chegou a última parte da minha série sobre o que eu aprendi com o NaNoWriMo em 2016! Abaixo, você pode conferir mais algumas dicas de escrita e organização. Coisas que eu coloquei em prática em novembro e que descobri que funcionam para mim — quem sabe não funciona para você também?


Leia:

1. Ter um diário de escrita

Aqui falo de um diário no sentido de registrar o que aconteceu enquanto você escrevia. Que horas começou, que horas parou, quantas palavras escreveu, se a escrita fluiu ou não, se você gostou do que escreveu ou não, etc. Para quem está construindo o hábito, pode ser uma ajuda para descobrir quantas palavras em média você consegue escrever, em que momentos do dia você escreve mais e/ou melhor, quais os melhores dias da semana para escrever, entre outras coisas.

Para quem já construiu o hábito, é um registro interessante de manter (eu gosto de rever o que eu escrevi em outra época, por exemplo, e me ajuda a organizar as coisas quando vou publicar o diário no SI&F), e pode até mesmo servir de inspiração. Nada como ver todos os dias preenchidos, não é?

Para a escrita do próximo livro eu pretendo até expandir o diário, anotando coisas (filmes, posts em blogs, outros livros) que me deixam mais inspirada para escrever, mesmo naqueles dias em que lidar com o cursor piscando é difícil. Eu costumo registrar o meu diário no Evernote (criei um caderno só para os diários de escrita), e sugiro que quem quiser começar o faça em algum aplicativo que possa ser acessado de vários dispositivos.

15 de março de 2017

Conto gratuito | Minha ideia é boa demais para não vir ao mundo

O conto Minha ideia é boa demais para não vir ao mundo foi escrito para o especial das mulheres do SI&F e primeiro distribuído entre os assinantes da newsletter. Agora também está disponível online no Wattpad e na Amazon, para quem prefere comprar. Se você não gosta de ler na Amazon e nem online, não se preocupe: o conto está disponível para download nos formatos .mobi e .epub; em troca você só precisa fazer um compartilhamento em sua rede social favorita!

Capa do conto Minha ideia é boa demais para não vir ao mundo

Sinopse: Ramaddeshia tem uma ideia brilhante: a máquina de transição interdimensional, que permitiria que mesmo aqueles que não podem usar magia transitassem entre as diversas dimensões, sem depender da boa vontade de um mago. Para isso, ela precisa da ajuda de Laurentis, um mago que fez grandes descobertas no campo da transição interdimensional e abertura de portais. No entanto, Laurentis não está tão disposto a cooperar com o projeto que, na visão de Ramaddeshia, pode mudar o mundo.

13 de março de 2017

As mulheres de Divindade Artificial

Nada como encerrar a série de homenagens às mulheres do SI&F falando sobre aquelas que passam boa parte do tempo comigo (ao menos, na minha cabeça e na tela do computador): as personagens femininas de Divindade Artificial.

As mulheres de Divindade Artificial: Illana, Madeline, Njara e Ramaddeshia

Leia também:

O livro tem várias personagens femininas, entre protagonistas e secundárias, e abaixo você pode conhecer um pouco de algumas delas. Os desenhos foram todos feitos por mim, e, embora não tenham ficado exatamente do jeito que eu esperava, mostram as personagens mais ou menos como eu as imagin

Ramaddeshia

Ramaddeshia é a protagonista. É filha do rei de Matrixion e possível herdeira do trono, mas seu coração está na área da tecnologia. Ela ama tecnologia (especialmente computadores), e sua meta de vida é melhorá-la cada vez mais, pois acredita que assim a vida das pessoas ficaria cada vez melhor. Mas ela também acredita que os fins justificam os meios, então é capaz de abrir mão de certos valores sobre certo ou errado para alcançar seus objetivos.

9 de março de 2017

10 livros escritos por mulheres que são meus favoritos

Na terceira parte do especial da Semana da Mulher, trago uma lista de livros de ficção especulativa escritos por mulheres. São livros que eu acredito que todos devem conhecer e, claro, de que gosto muito. Não me propus a definir uma ordem de preferência; em vez disso, escolhi listá-los em ordem alfabética.

10 livros favoritos escritos por mulheres
10 livros favoritos escritos por mulheres; na foto estão os livros Às vezes eu ouço minha voz em silêncio, Lobo de Rua, Inverso e Reverso e A Biblioteca Invisível.

1. Às vezes eu ouço minha voz em silêncio (Priscilla Matsumoto)

Às vezes eu ouço minha voz em silêncio é na verdade uma antologia de contos, mas ainda assim merece estar na lista. Todos eles foram escritos por Priscilla Matsumoto e são protagonizados pelas mulheres mais diversas. Os contos puxam mais para o realismo fantástico e trazem situações inusitadas — mas de um jeito bom, que envolve e atiça a curiosidade.

8 de março de 2017

Iniciativa BLU | Tag: Girl Power

Na segunda parte do #EspecialSIFMulher, trago a tag Girl Power, idealizada pelo pessoal do BLU – Blogueiros Literários Unidos. A tag tem 12 perguntas, e qualquer um que queira responder está convidado, seja em seu blog ou mesmo nas redes sociais, para quem não tem um canal próprio. Vamos indicar livros!


1. Personagem favorita


Já falei sobre ela no post de ontem: definitivamente é Luna Lovegood. É uma personagem que eu admiro muito pelo seu jeito de ser.


2. Escritora nacional favorita


Acho que nem preciso pensar muito aqui: Jana P. Bianchi, autora de Lobo de Rua e Sombras. Começou sua jornada de maneira independente, mas agora Lobo de Rua tem uma edição nova (e lindíssima) pela Dame Blanche. Quem acompanha o SI&F já sabe, mas não custa repetir: recomendo muitíssimo o que ela escreve, além de admirar a forma profissional como ela encara o ofício de escritora.

7 de março de 2017

10 personagens femininas da ficção especulativa para você conhecer

Amanhã é o Dia Internacional da Mulher, então nada melhor do que aproveitar essa semana para fazer um especial e homenagear personagens, livros e autoras!


Na primeira parte do especial, selecionei 10 personagens femininas da fantasia e ficção científica que você precisa conhecer (algumas delas eu aposto que você conhece). Além disso, são personagens de que eu gostei muito e cujas histórias eu sempre tenho vontade de reler.

Confira:

Adelina Amouteru

Adelina Amouteru, por marquiseing
Adelina Amouteru por Marquiseing no Deviantart.

Jovens de Elite é um livro que pode ter alguns defeitos, mas vários aspectos dele me fizeram apreciar a leitura e um deles foi a protagonista. Diferentemente de outras protagonistas de livros de fantasia YA, ela não é a moça certinha. Muito pelo contrário: ela tem seu lado obscuro, o que tornou a personagem bem interessante. Por ser uma malfetto (vítima de uma febre que devastou o mundo, matou muitas pessoas e deixou várias outras deformadas, dentre elas, Adelina), ela tem poderes, como vários outros malfettos (o que faz dela uma Jovem de Elite). Ela pode criar ilusões, e usa essa habilidade para fazer coisas nem tão nobres várias vezes. Muito interessante também é a forma como o relacionamento dela com a irmã, Violetta, foi retratado. Saiba mais na resenha de Jovens de Elite.

6 de março de 2017

3 projetos literários para você apoiar!

Semana passada, divulguei o livro Contos de Fadas, da Editora Wish, e ontem, o volume físico da Trasgo - Ano 1, ambos em processo de financiamento coletivo no Catarse.

Mas têm vários outros projetos legais sendo financiados por aí e que vão deixar você, leitor de ficção especulativa, bem interessado. Então prepare suas moedinhas!

Maus Valores

Apoie até 14/03

Maus Valores é um livro de fantasia de J. P. Schmidt, inspirado em jogos de RPG. Confira a sinopse:

Uma elfa, filha do próprio ar, capaz de voar e controlar o vento ao redor.
Um anão, descendente do povo de rocha e lava, poderoso o bastante para mover, rachar e andar sob a terra.
Um militar, culpado apenas por não ter como contar que presenciou e sobreviveu ao impossível.
Todos com poder para sair e não saem. Um deles terá sua alma corrompida e depois será tarde demais para o mundo.
Maus valores (assim como Guardiões do pecado) foi inspirado em minhas antigas campanhas medievais de RPG. Quem já jogou o chamado ‘RPG de mesa’ torna-se nítida a ideia da experiência do jogo; do crescimento dos personagens; dos 'erros críticos'; do ganho gradual de poderes; e os problemas que tal poder atrai. Mas e quem nunca jogou? Terá um bom livro para ler, pois não tem que conhecer os jogos de RPG para se divertir com a leitura.

5 de março de 2017

Meus 8 contos favoritos da Trasgo - Ano 1

Para quem ainda não sabe, a Trasgo vai ganhar edição impressa. O primeiro volume corresponde ao primeiro ano de publicação da revista, por isso reúne os contos das quatro primeiras edições, além de três contos inéditos escritos pelos membros da equipe.

Livro impresso reunindo os contos das primeiras 4 edições da Trasgo.
A edição impressa do primeiro ano da Trasgo, com arte da capa feita por Kelly Santos.

Como eu já li as quatro primeiras edições, decidi listar aqueles que são os meus favoritos, os que mais gostei dentre todos os que já li. Confira a lista:

8. Código Fonte (George Amaral)


Código Fonte está disponível na segunda edição. Tem como tema o medo do envelhecimento, e o enredo é do tipo que vai para um caminho inesperado.


Arte da capa da edição 2 da Trasgo.
Arte da capa da edição 2 da Trasgo.

2 de março de 2017

Vou participar da maratona literária #MulheresdaLiteratura

Dia 8 de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher. Pensando nisso, o blog Queria Estar Lendo está promovendo seu segundo evento dedicado às mulheres escritoras: a maratona literária #MulheresdaLiteratura.


A maratona terá início no dia 3 de março e vai até o dia 31, sendo que cada semana terá um tema. Quem quiser participar deve, é claro, ler livros escritos por mulheres, brasileiras ou estrangeiras. Eu vou participar, é claro, e já selecionei minhas leituras.


Semana 1: Policial


Meu plano era ler um livro de uma autora contemporânea, de preferência nacional. Entretanto, eu já tinha gastado o meu último vale presente que ganhei no Natal, e mais nenhum apareceu por aqui. Assim, a solução foi recorrer à enorme coleção da Agatha Christie que minha mãe tem aqui em casa.

1 de março de 2017

Apoie a fantasia | Contos de Fadas originais no Catarse!

Hoje eu tenho uma novidade (e uma dica) para você que gosta de contos de fadas. A editora Wish está publicando o terceiro volume de sua série de Contos de Fadas originais, e o projeto está em fase de financiamento coletivo no Catarse. Então se você tem vontade de ler as histórias de sua infância em sua versão original, não deixe de conferir os valores e deixar o seu apoio!


O livro

Podemos dizer que, há muitos séculos, os contos de fadas são uma das literaturas mais fortes no mundo. Espalharam-se por toda a Europa, países nórdicos, Itália, África e China. Eram cantigas, histórias para abrandar as noites frias, formas sutis de introduzir boas morais e costumes para crianças e adultos. Como dizer que é perigoso sair sozinho na floresta, ou não confiar em estranhos? Como provar que o amor real é mais forte do que as aparências? Como lembrar que os pecados e maldades serão, um dia, condenados pela própria sociedade?

27 de fevereiro de 2017

Resenha | Revista Trasgo - Edição 4

Título: Revista Trasgo – Edição 4
Autores: Ademir Pascale, Érica Bombardi, Fred Oliveira, Gerson Lodi-Ribeiro, Jessica Borges, Mary C. Müller, Rodrigo van Kampen (organizador), Edmar Nunes de Almeida (ilustrador)
Ano de publicação: 2014
Editora: Independente
Número de páginas: 100
Sinopse (Skoob): A quarta edição da Trasgo de Ficção Científica e Fantasia traz contos de autores conhecidos e estreantes. Esta edição abre com “Rendição do Serviço de Guarda”, uma noveleta do veterano da FC brasileira Gerson Lodi-Ribeiro, na qual os humanos são a principal esperança em uma guerra que já dura milênios. Também publica um conto de Érica Bombardi, “Vivo. Morto. X”, um conto sobre escolhas e influências, com um toque gótico e contemporâneo. “Isaac”, de Ademir Pascale, traz um cenário pós-apocalíptico onde humanos se tornaram piores que animais. Em seguida, um delicioso conto de Mary C. Muller, “Estive assombrando seus sonhos”, sobre um jovem medium em treinamento. Em “Arca dos Sonhos”, de Fred Oliveira, o leitor se coloca na mente do capitão de uma grande nave vagando por milênios rumo ao desconhecido. Para fechar esta edição, um texto leve de Jessica Borges, “No Labirinto”, influenciado pelo filme homônimo com David Bowie, sob uma abordagem única e singela.

A quarta edição da Trasgo traz 6 contos de fantasia e ficção científica. Infelizmente, acabei não gostando muito de alguns deles, e só bastante apenas de dois. Como sempre, avaliei cada um deles separadamente:

Rendição do serviço de guarda (Gerson Lodi-Ribeiro)

O conto traz alguns temas interessantes, como a dominação do espaço, a interação de diferentes espécies do sistema solar e a imortalidade. São temas interessantes e que dão margem a enredos bem interessantes. No entanto, este conto não me agradou, e o principal motivo foi a narrativa.

Grande parte do conto se destina a explicar (em forma de relatos) como estourou a chamada Guerra Natural, que acontece há milênios e envolve sete espécies Carnívoras (como são chamadas) contra as demais espécies humanóides que habitam o sistema solar. Há ainda uma parte dedicada ao background de um personagem, que afinal não se mostrou tão importante. Assim, durante a maior parte do conto eu me senti como se estivesse lendo um livro de fatos históricos. E, mesmo nos momentos em que o enredo propriamente dito se desenrolava, eu não conseguia entrar na cena: as coisas são contadas, em vez de mostradas.

Além disso, os personagens têm pouca caracterização: em nenhum momento mostram como é sua personalidade (mesmo no caso daquele que teve seu background apresentado: sabemos sua história, mas não o conhecemos de verdade, não sabemos como ele reagiu a essa história). Isso acabou me impedindo de me conectar com os personagens, o que diminuiu ainda mais a minha empolgação com a leitura. Ademais, a história caiu em um clichê que eu não gosto: a maioria das espécies apresentadas parece ser monocultural, e ainda bem parecidas em pensamento entre si.

★ ★ ☆ ☆ ☆

24 de fevereiro de 2017

5 coisas que eu aprendi com o NaNoWriMo em 2016 - Parte 2

Em 2016, participei mais uma vez do NaNoWriMo (conheça o projeto que desenvolvi em novembro, Divindade Artificial), e como sempre acontece, aprendi uma coisa ou outra sobre o meu processo de escrita e sobre produtividade. Outro dia, listei 5 coisas que aprendi com o NaNoWriMo em 2016, e hoje trago mais 5:

NaNoWriMo: 5 coisas que eu aprendi sobre escrita, disciplina e produtividade

1. Escrever mesmo sem inspiração, mas aproveitar os dias mais inspirados para superar a meta

Acho que todo mundo concorda que esperar a inspiração não é a melhor estratégia, certo? O que eu aprendi sobre mim em 10 anos de escrita (isso mesmo, em 2017 faz 10 anos que eu escrevo \o/) é que o processo demora para “esquentar”. Mesmo nos piores dias, em que as palavras relutam em aparecer na tela, a escrita começa a fluir se eu forço por mais ou menos meia hora. É aquela história: se não está inspirado, se inspire.

22 de fevereiro de 2017

Conto | A ruína no deserto

Título: A ruína no deserto
Data de publicação: 18/02/2017
Gênero: Fantasia
Tipo de história: Conto
Sinopse: Jilliane e Najama estavam aproveitando um raro dia de folga para viajar quando o carro sofre uma pane bem no meio do caminho. O problema não é a falta de gasolina: uma magia intermitente, que vem de uma ruína no deserto, parece interferir com o funcionamento do motor. Najama decide investigar a fonte dessa magia, e por isso arrasta Jilliane até a ruína. Lá, Jilliane descobre mais do que um simples objeto mágico esquecido no deserto.





Leia o conto

O conto está disponível para leitura no Sweek; clique aqui para ler A ruína no deserto.


Em breve também no Wattpad e no Widbook!

20 de fevereiro de 2017

Resenha | O Herói das Eras

Título: O Herói das Eras (Mistborn: Nascidos da Bruma #3)
Autor: Brandon Sanderson
Ano de publicação: 2016
Editora: Leya
Número de páginas: 688
Compre: Submarino | Saraiva | Amazon
Sinopse: Após subverter a lógica dos livros de fantasia tradicional e arrebatar uma quantidade incrível de admiradores, entre eles George R. R. Martin em pessoa, Brandon Sanderson encerra a trilogia fantástica Mistborn de forma no mínimo surpreendente. Para acabar com o Império Final e restaurar a liberdade, Vin matou Lord Ruler. Mas, em consequência, poderosos terremotos causaram o retorno das trevas, e a humanidade parece estar definitivamente condenada. Resta saber como Vin poderá se livrar da culpa e reverter este cenário. A conclusão da série promete não decepcionar os leitores dos dois primeiros volumes, já que está repleta de revelações e reviravoltas, dignas dos leitores mais exigentes.

Vin libertou Ruína do Poço da Ascensão, e desde então o mundo vai de mal a pior. As chuvas de cinzas estão cada vez mais intensas, as brumas persistem por cada vez mais tempo sob a luz do sol, prejudicando as plantações, e terremotos acontecem com cada vez mais frequência. Enquanto tentam reunir pistas de como derrotar Ruína, Vin, Elend e o que restou da gangue de Kelsier estão decididos a reconquistar as cidades que se separaram do Império Final, como Fadrex e Urteau.

17 de fevereiro de 2017

5 coisas que eu aprendi com o NaNoWriMo em 2016 - Parte 1

Minha ideia era trazer esse post bem antes, mas por motivos de falta de organização (e compromissos inesperados) acabei deixando para depois. Mas ainda está valendo, então decidi compartilhar meu aprendizado com o NaNoWriMo (muito embora Divindade Artificial esteja parado ultimamente, mas isso é assunto para outro post).


O NaNoWriMo é para muitos um desafio. É uma ótima forma de dar um gás naquele seu projeto, mas também é uma ótima chance de ganhar um pouco de autoconhecimento devido à dinâmica de metas diárias e registro do processo. Em todas as edições de que participei (participo desde 2014), mesmo naquelas em que não ganhei, aprendi uma coisa ou outra sobre o meu processo de escrita.

Confira também:

16 de fevereiro de 2017

O SI&F agora é parceiro da Editora Draco!

Ontem a Editora Draco abriu a seleção de blogs parceiros para 2017 (se você é blogueiro e quer se inscrever, pode fazer isso até dia 31 de março), e eu decidi me inscrever. Todos os blogs inscritos serão selecionados, independente de número de escritores, então por isso eu estou aqui, apresentando a parceria entre o SI&F e a Editora Draco.


Eu não vou ganhar livros por isso, mas terei descontos especiais por ser parceira, então eu espero que a parte financeira da minha vida contribua para que eu possa comprar aquilo que tenho vontade e poder divulgar e resenhar aqui no blog. Também poderei participar de ações pontuais e exclusivas, então coisas interessantes vêm aí.

13 de fevereiro de 2017

Resenha | O Desejo do Sol

Título: O Desejo do Sol – Parte 1 (A Lança Dourada #3)
Autor: Daniel Monteiro
Ano de publicação: 2016
Editora: Independente
Número de páginas: 274
Compre: Amazon
Sinopse: Quando um homem alado aparece no templo celeste do Cesaro, uma estranha profecia ameaça mudar para sempre a vida em Maciaan. Há décadas sem serem vistos, uma nova leva de caídos do céu surge, e Vasto, o filho de Áries, acredita ser o centro da mudança vaticinada. Sem recursos nem maneiras de ser levado a sério, ele parte em uma jornada para reunir os doze filhos do zodíaco e concretizar o seu destino.
Em meio a intrigas políticas e viagens conturbadas, o mito de um herói nasce, mas qual é seu verdadeiro papel? A prometida salvação é o que todos desejam? Neste épico de fantasia, nem tudo é o que parece, e um homem sozinho precisará convencer todos de que é possível derrotar uma ameaça invisível e silenciosa de poder ancestral, se todos se unirem sob uma vontade superiora: o desejo do sol.

O Desejo do Sol tem início quando Ivan (protagonista do livro anterior, A Pedra Celestial) chega ao Cesaro. Ele tem um objetivo: encontrar Afrodite e matá-la, restaurando, assim, o equilíbrio do mundo. No entanto, descobrir onde está Afrodite é algo que pode levar anos, por isso Ivan permanece no Cesaro com Adônis, o centauro, e Bato, Enzo e Janela, três Caídos do Céu — os Filhos do Zodíaco.

Anos se passam e mais Caídos do Céu vão surgindo enquanto os demais crescem e tomam seus caminhos, aos poucos descobrindo seus poderes. Até que Vasto, filho de Áries e um dos mais jovens, decide que precisa reunir todos os Filhos do Zodíaco depois de ter um sonho profético.

10 de fevereiro de 2017

Resenhando contos #10 | Lidos em 2016

Em 2016 li menos contos do que queria, infelizmente, apesar do meu projeto de ler um conto por dia. Ainda assim, li bastantes contos, e decidi postar as avaliações dos últimos que li no ano que passou; confira:

Título: Memento Mori – Lembre-se que és imortal
Autor: Y. M. Dias
Ano de publicação: 2016
Editora: Independente
Número de páginas: 18
Compre
Sinopse: No início do século XX, uma jovem da alta sociedade mexicana luta contra os desígnios de seu pai para viver ao lado de seu grande amor. Ela só não esperava despertar a obsessão de um ser ancestral que fará de tudo para possui-la.
"[...] uma figura encapuzada portando uma foice, ou uma bela dama de face cadavérica. Independentemente de sua interpretação, é de comum acordo que não há maneira de escapar quando ela resolve encontrá-lo."
Conheça a origem da emblemática La Catrina.

8 de fevereiro de 2017

E-book gratuito | Viagem na maionese

Título: Viagem na maionese
Data de publicação: 24/01/2017
Gênero: ficção especulativa
Tipo de história: microcontos
Sinopse: O e-book Viagem na maionese reúne microcontos de aventura e ficção especulativa, alguns já publicados em concursos literários, alguns já publicados no blog Sonhos, Imaginação & Fantasia e, ainda, alguns inéditos. Então faça sua viagem e aproveite e se divirta com essas pequenas histórias.







Leia o livro




Sobre


O e-book Viagem na maionese reúne microcontos de gêneros diversos dentro da aventura e da ficção especulativa.

6 de fevereiro de 2017

Resenha | Harry Potter e a Criança Amaldiçoada

Título: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada
Autores: J. K. Rowling, Jack Thorne e John Tiffany
Ano de publicação: 2016
Editora: Rocco
Número de páginas: 352
Compre Harry Potter e a Criança Amaldiçoada
Sinopse: Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia, marido e pai de três crianças em idade escolar. Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados.
Ansiosamente aguardado por milhões de fãs, o oitavo livro da saga de maior sucesso de todos os tempos chega às livrarias de todo o Brasil no dia 31 de outubro, em edições brochura e capa dura. Harry Potter e a criança amaldiçoada é a edição impressa do roteiro de ensaio da peça escrita por J.K. Rowling em parceria com Jack Thorne e John Tiffany, que está em cartaz em Londres e se passa 19 anos após os acontecimentos narrados em Harry Potter e as Relíquias da Morte.

23 de janeiro de 2017

Resenha | Coração de Aço

Título: Coração de Aço (Executores #1)
Autor: Brandon Sanderson
Ano de publicação: 2016
Editora: Aleph
Número de páginas: 376
Compre: Submarino | Saraiva | Amazon
Sinopse: Tudo começou com Calamidade, que surgiu nos céus como uma estrela de fogo, e que ninguém sabe o que é realmente: seria algo alienígena, ou então um experimento do exército norte-americano? Seus efeitos, entretanto, podem ser sentidos algum tempo após seu surgimento: pessoas comuns passam a ter poderes que desafiam as leis da física e da lógica. Parece que uma nova era está para surgir. E surge: os nomeados Épicos não apenas se tornam poderosos, mas também ganham uma sede insaciável de poder e parecem perder toda sua humanidade no processo, deixando o resto da população à mercê de suas vontades e caprichos. Dentre eles o mais poderoso é Coração de Aço, um ser invulnerável a qualquer tipo de ataque e com capacidade de manipular e transformar objetos inorgânicos em metal, que decide tomar a cidade de Chicago e ali estabelecer seu império.
Dez anos se passam e os Épicos governam com poder absoluto, com todos os direitos e nenhum dever, se apossando de tudo o que querem a seu bel-prazer, e matando aqueles que ousam desafiá-los. Não existe nada e ninguém que possa impedi-los. A exceção a essa regra são os Executores, humanos normais, munidos de tecnologia de ponta que se utilizam de táticas de guerrilha para derrubar e matar o maior número possível de Épicos. O sonho de David, um jovem criado em um orfanato/fábrica de Nova Chicago é juntar-se aos Executores e destruir Coração de Aço, o homem que matou seu pai e mudou sua vida para sempre.

Há dez anos, Calamidade apareceu no céu. Ninguém sabe o que é ou de onde veio, mas com esse evento algumas pessoas ganharam poderes. Essas pessoas passam a ser chamadas de Épicos, e o mais famoso (e provavelmente o mais poderoso) dentre eles é Coração de Aço, que naquela época dominou Chicago e, desde então, a agora Nova Chicago vive sob sua tirania, com os Épicos fazendo parte da alta sociedade e as pessoas sem poderes vivendo como podem com os poucos recursos e tentando se manter fora do caminho dos Épicos.

É nesse mundo que vive David. O pai dele morreu há dez anos, em um banco, pelas mãos de Coração de Aço. Desde então, David sonha em se vingar, e passou dez anos estudando os Épicos, seus poderes e seus pontos fracos a fim de entender Coração de Aço e descobrir o ponto fraco deste. E é também devido aos seus desejos de vingança que ele quer se juntar aos Executores, os únicos dentre as pessoas comuns que resistem aos Épicos.

16 de janeiro de 2017

Resenha | Réquiem para a liberdade

Título: Réquiem para a liberdade
Autor: Thiago Lee
Ano de publicação: 2015
Editora: wwlivros
Número de páginas: 220
Compre Réquiem para a Liberdade
Sinopse: O livro narra a história de Marko, um ex-escravo liberto que vaga pelo reino em busca de respostas para uma maldição que o assola. Quando ele se aproxima de uma vila de pescadores dominada por um tirano, ele terá que escolher ignorar ou proteger um povo cujo sofrimento se assemelha ao seu próprio passado.

9 de janeiro de 2017

Resenha | A Biblioteca Invisível

Título: A Biblioteca Invisível (A Biblioteca Invisível #1)
Autor: Genevieve Cogman
Ano de publicação: 2016
Editora: Morro Branco
Número de páginas: 368
Compre: Amazon | Submarino
Sinopse: Irene é uma espiã profissional da misteriosa Biblioteca, uma organização que existe fora do tempo e espaço e que coleciona livros e manuscritos de diferentes realidades. Junto com seu enigmático assistente Kai, ela é enviada para uma Londres alternativa com a missão de recuperar um perigoso livro. Mas quando chegam, ele já foi roubado.
As principais facções do submundo londrino estão prontas para lutar até a morte para achá-lo, e a missão de Irene é dificultada pelo fato de que o mundo está infestado pelo Caos — as leis da natureza foram distorcidas para permitir a existência de criaturas sobrenaturais e mágicas imprevisíveis.
Enquanto seu novo assistente guarda seus próprios segredos, Irene logo se vê envolvida em uma aventura repleta de ladrões, assassinos e sociedades secretas, onde a própria realidade está em perigo e falhar não é uma opção.

7 de janeiro de 2017

TAG | Retrospectiva 2016

Fui convidada pela Camila Villalba, do The Nerd Bubble, para responder à tag Retrospectiva 2016 (e a tag, por sua vez, foi criada pelo blog Caderno da Lua com base nas tags de 50% do ano). Como sempre gosto de ter uma visão geral do que li no ano (e com isso aproveitar para indicar livros), resolvi responder a tag, então você pode conferir minhas escolhas abaixo:

1 | O melhor livro que você leu em 2016


Minha lista de melhores leituras do ano nas categorias conto, novela e romance já saiu, e O Herói das Eras, conclusão da trilogia Mistborn, foi eleito o melhor do ano. Já estava ansiando por esse livro há muito tempo, e quando finalmente pus minhas mãos nele, li em 3 dias (o que não é pouca coisa, já que o livro tem umas 600 páginas). Como em breve vai ter resenha e eu já falei dele no meu post de melhores do ano, vou me conter aqui e deixar apenas a recomendação para que leiam.


2 | A melhor continuação que você leu em 2016


Vide resposta acima. Mas, como abri o ano lendo O Poço da Ascensão, o segundo volume, ele também cabe aqui.

6 de janeiro de 2017

Retrospectiva 2016 | Os melhores do ano

Hoje venho com a segunda parte da Retrospectiva 2016, para listar os melhores livros e contos que li no ano que passou. Para conferir os destaques do ano e alguns números interessantes da minha estante de 2016, clique aqui.


Os melhores livros

Relembrando minhas leituras de 2016 para fazer essa lista, percebi que, apesar de ter tido poucas decepções literárias e no geral ter gostado do que li, não tive muitas leituras que foram excepcionalmente surpreendentes, pelo menos em comparação a 2013, 2014 e 2015. Mas claro que tive aqueles que entraram para os favoritos e que me fizeram largar tudo para ficar lendo sem parar, então vamos à lista:

2 de janeiro de 2017

Retrospectiva 2016 | Balanço Literário

2016 chegou ao fim, e nada melhor para começar o ano que fazer um balanço literário e relembrar as melhores (e as piores também) leituras do ano que passou. No post de hoje, trago o balanço literário, e também os destaques do ano, como faço sempre. Ainda essa semana, vou falar também sobre os melhores e piores do ano, e também responderei uma tag.


O balanço literário

Em 2016 fiz 79 leituras, sendo que dessas 26 eram contos, 7 eram antologias de contos, 4 eram novelas (uma das novelas foi uma releitura) e 42 eram livros (7 deles eram releituras). Também abandonei dois livros.

Além disso, iniciei a leitura de 13 novas sagas, finalizei quatro e dei continuidade a duas das séries que comecei nos anos anteriores. Confira abaixo a lista: